No mesmo local do Real Theatro de São João, incendiado em 25 de março de 1824, Fernando José de Almeida empreendeu reconstruir o teatro conseguindo um empréstimo com o Banco do Brasil, estabelecendo acionistas de camarotes e obtendo a concessão de algumas loterias.
 
Para que o público não ficasse privado por muito tempo de divertimento, enquanto duravam as obras de reconstrução, foi preparado em um salão da frente, junto à varanda, um teatrinho, inaugurado em 01 de dezembro de 1824, para festejar a coroação e sagração de D. Pedro I. Tomou o nome de Theatrinho Constitucional e transformou-se em salão de concertos líricos.
 
Constava de um pequeno palco, 24 camarotes distribuídos em duas ordens e uma platéia para 160 pessoas.
 
A reedificação do teatro foi feita com presteza e, em 1826, era re-inaugurado com o nome Imperial Theatro de São Pedro de Alcântara.